É Carnaval

Depois do jogo de sexta, não quero pensar em Fluminense até quarta-feira.

Eu já gostei mais de Carnaval, tanto quando eu era criança como já adulto.

Quando criança, lembro que meus pais me levavam para as Avenicas Rio Branco e Presidente Vargas assistir aos desfiles. Assistia de tudo, blocos, escolas de samba. Acho que até as escolas de segundo grupo. Vem à memória os carros alegóricos largados ao final do desfile, dos camelôs vendendo cerveja Skol e Brahma, depois voltávamos de madrugada nas Barcas, muitas vezes dormindo. Algumas vezes íamos de manhã quando as escolas estavam terminando, pois os desfiles eram feitos num só dia.

Nunca fui de me fantasiar, lembro que tinha medo daquelas fantasias de pierrot, pois muitos colocavam a fantasia justamente para assustar as crianças. Cheguei a fazer, junto com alguns primos e amigos no Bairro de Fátima, tentar montar um pseudo-bloco de Carnaval, e promovemos um desfile com batuque, carrinho de rolimã em volta do quarteirão principal do bairro. Na verdade, pelo molde das ruas da época, acho que era até o único quarteirão formado pelas ruas Raul Pompéia e Conselheiro Paulino e um pequeno trajeto da Andrade Pinto e a outra que de tão pequena nem lembro o nome.

Depoois foi a época de ir aos bailes de clubes Fonseca e Gragoatá. Até os desfiles de Niterói já foram mais legais. Uma tia já falecida  inclusive participava da confecção de fantasias e alegorias de uma escola de segundo grupo de Niterói, a Unidos do Beltrão. Outro tio, também falecido, era integrante da bateria da Unidos da Viradouro, na época que ela desfilava em Niterói e promovia embates duríssimos com a Acadêmicos do Cubango.  A Viradouro procurou um vôo maior e foi desfilar no Rio e logo atingiu o Grupo Especial, sendo campeã. A Cubango demorou um pouco, e só fica no desfile do Segundo Grupo, mas torço que também um dia alcance o grupo Especial.

Hoje vejo que alguns bairros do subúrbio do Rio tentam manter a tradição dos bailes e do Carnaval popular, e até as prefeituras tentam também promover bailes populares.

Hoje fui a um baile popular com o meu filho na pracinha do Largo do Marrão. Não tinha tanta gente, mas as crianças nem ligavam se tinha muita o pouca gente e brincavam. Acho que é esse o espírito.

Vou assistir aos desfiles agora, na TV é claro. A Porto da Pedra já passou, e eu só fiquei no ouvido. Parece que foi legal. Agora vai a Salgueiro.  Mais tarde tem a Mangueira, minha escola antes do ingresso da Viradouro nos desfiles, mas ainda tenho um carinho pela Estação Primeira. Vi uma menina vestida de Fluminense numa ala da Salgueiro. Vou torcer que seja um desfile legal.  Já vi que o início da mensagem foi pras cucuias, já que estou falando de Fluminense.

  Acho que mandarei outros posts durante o desfile.

Fui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: